Cymbidium

Dendrobium

Miltonia/ Miltoniopsis

Oncidium

Phalaenopsis

Paphiopedilum

Vanda

Cattleya

Orquídeas são o elemento perfeito para causar impacto em qualquer decoração. Seja qual for seu estilo, do clássico ao moderno mais arrojado. Elas nunca fazem feio. Com maior variedade, resistência e durabilidade  Phalaenopsis é a a melhor opção,  seguida da Vanda. Desde que tenha boa luminosidade no ambiente, ela chega a manter sua florada por mais de dois meses. A Cymbidium tem boa durabilidade, juntamente com a Dendrobium. A Oncidium, encanta pela delicadeza de suas hastes, mas em ambiente interno, começa rapidamente a perder suas flores. Dentro de casa, regue uma vez por semana, apenas para manter o substrato úmido. Teste colocando o dedo indicador no substrato. Não encharque, nem molhe o centro da planta, principalmente a Phalaenopsis, pois isso gera o apodrecimento da planta. Vez por outra borrife água ou fertilizante spray, na superfície das folhas.

Depois que a florada termine, leve a orquídea para um ambiente externo, protegida do sol direto e do vento, mas com boa luminosidade. Se o vaso estiver pequeno demais  ou ela apresentar algum tipo de praga, siga as instruções da página Cuidados, para trocar de vaso ou combater as pragas. Se não quiser cuidar mais de sua orquídea depois do fim da florada, o que seria uma pena, não a descarte no lixo. Fixe a planta à uma árvore na rua ou em praças. Use uma meia fina velha ou  barbante de algodão para amarrar a orquídea. A cidade cada vez mais cinza,  agradece seu gesto

Um vaso de Oncidium cheio de touceiras e raízes

Aqui,  depois de um ano, já fixada ao abacateiro. O fio de algodão que a prendia já apodreceu e caiu.

 Uma Brassia. Depois que as flores secaram.Com o auxílio de um estilete, separei uma touceira cheia de raízes

Amarrei a nova muda, num pé de limão rosa, usando um fio de algodão.

Depois de um ano e dois meses, a nova muda desenvolveu raízes, o fio de algodão apodreceu e caiu e ela abriu uma bela florada.

Haste de dendrobium recém cortada

Haste já amarrada na árvore, e soltando raízes.

Uma Dendrobium já  fixada ao pé de abacate e florindo!!

Aqui, uma Phalenopsis, presa ao pé de limão rosa, e já está florindo.

Orquídeas são verdadeiras jóias da Natureza, por isso não é à toa que há tantos apaixonados por elas..

 Eu sou uma delas. Embora amadora, gosto de passar o que já aprendi por experiência e observação. 

 Essas flores fascinantes não são tão difíceis de lidar como pode parecer à primeira vista.

 É um prazer cuidar delas. Em troca, com sua grande variedade de cores, formas e texturas, transformam o mundo cinzento da cidade, em um lugar melhor para se viver.

 

 

Olhando as fotos, não é difícil entender porque as orquídeas são flores tão apreciadas no mundo inteiro. São belas e elegantes. Resistentes e pouco exigentes.Tem uma infinidade de cores e formas absolutamente incriveis. É impossivel ficar indiferente diante de tanta beleza.

As orquídeas tem uma história longa e rica. Estão presentes no mundo todo, nos mais diversos climas, com exceção aos polos gelados e desertos. São conhecidas desde a antiguidade pelos gregos que acreditavam que elas tinham propriedades medicinais ligadas a virilidade.

 Para os chineses eram um poderoso remédio na cura das doenças do pulmão e tosses em geral. Os aztecas utilizavam a orquídea do gênero vanilla. Extraiam de seus frutos (vagens) a baunilha e misturavam ao chocolate, para recuperar a saúde e aumentar a força.

O nome orquídea vem do grego órkhis, que significa testículo e eidos aspecto, pois as primeiras orquídeas descritas foram as da espécie orchis que apresentam dois pequenos tubérculos, semelhantes a testículos masculinos. O nome acabou sendo utilizado para toda a família das Orchidaceae que foi definitivamente estabelecida em 1789 por Antoine Laurent de Jussieau. 

Na Inglaterra vitoriana, tornaram-se um modismo entre os nobres, e acreditava-se que possuíam propriedade terapêuticas e de proteção contra doenças. Também foram intimamente ligadas a luxuria, beleza, riqueza e ao amor.

Na natureza existem mais de 25.000 especies catalogadas, e a cada ano descobre-se uma nova. O Equador apresenta o maior numero de especies, um total de 3.549. A Colombia esta em segundo lugar com 2.723 e o Brasil vem em terceiro com 2590, sendo que só na Mata Atlantica há mais de 1500 espécies diferentes.

Apesar da grande variedade elas são utilizadas comercialmente para fins ornamentais, exceto o gênero Vanilla, de onde se extrai a essência da baunilha.

Eram raras e muito caras. Extraídas de seu habitat natural no Sudeste Asiático e Américas, poucas sobreviviam à viagem até a Europa, onde eram vendidas por preços exorbitantes, tornando-se conhecidas como “plantas dos homens ricos”.

O cruzamento entre espécies diferentes de orquídeas começou em 1850. Fascinavam por sua beleza e cores extravagantes. Continuam a fascinar mas tornaram-se mais acessíveis a todos desde a década de 60, quando começaram a a desenvolver grande quantidade de plantas, através de clonagem do tecido (meristema) da planta mãe, daí o nome mericlones. Intensificou-se o processo de hibridização e hoje há mais de 100.000 espécies híbridas.

As orquídeas mais conhecidas e comercializadas são:

 

Depois de algum tempo, é sempre bom fazer mudas de suas orquídeas. Seja porque o vaso está sobrecarregado, ou para presentear,ou  para trocar ou mesmo para manter uma planta de reserva.

Quando uma orquídea é bem tratada e está numa lugar adequado para suas necessidades de luz e calor, ela começa a desenvolver-se aceleradamente. E o resultado, quando estão em vasos, é que suas raízes começam a crescer para fora dos limites do vaso. Isso acontece principalmente, com  orquídeas do tipo Oncidium, Miltonia e Paphiopedilum  que desenvolvem muitas raízes e formam touceiras. Portanto, são muito fáceis de separar  mudas e formar novos vasos. 


A Oncidium ( a mais conhecida é a chuva de ouro),  formam touceiras entremeadas de muitas raízes claras e firmes. É o momento ideal de dividir as touceiras e fazer novas mudas assim:

1 - Separe a touceira, usando uma faca bem afiada e limpa.Procure dividir a touceira sem cortar as raízes.

2 - Plante em um vaso com boa drenagem,  contendo uma mistura de substrato ( fibra de coco, carvão e lascas de pinus) e pedriscos.

3 - Se tiver árvores e quiser belas floradas no jardim, pode optar por amarrar a nova muda, com fio de algodão ao redor da árvore. As orquídeas se desenvolvem muito bem em palmeiras, coqueiros, abacateiros e cítricos.  

Não precisa se preocupar com a saúde da árvore, pois as orquídeas não são plantas parasitas, elas usam os troncos apenas para se apoiarem.

Orquídeas dendrobium são muito fáceis de multiplicar.

1- Espere que floresçam e após as flores caírem, escolha uma haste vigorosa que já floriu. Dê preferencia as hastes mais grossas e carnudas.

2- Corte a haste.
3 - Separe a haste.

4 - Prepare um vaso conforme as instruções  da página Cuidados.

5 - Fixe a haste no substrato, apertando bem as laterais. 

6 - Molhe bem, e leve para um lugar à sombra.

Se optar por fixa-la à uma árvore,  então procure amarra-la, com um fio de algodão, em uma árvore ou arbusto,  até que comece a enraizar. Regue com o borrifador, e pelo menos uma vez ao mes borrife adubo liquido para orquídeas. Espere que as raízes se desenvolvam bem.

Depois de alguns meses, uma nova haste irá se formar, juntamente com novas folhas.

 

Nossas Orquídeas

Galeria de Fotos